Quando a vida dá lugar à ausência

Segue-nos

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • LinkedIn - Black Circle
  • Pinterest

SONHADORES PRATICANTES

Questões? Parcerias?

soloadventuresofficial@gmail.com

Quando a vida dá lugar à ausência

September 4, 2018

A vida tem destas coisas e muito bem definidas. Não dizem que a única coisa certa que trazemos na vida é que um dia dará lugar à morte? Temos de perder o receio de falar destes temas. O que arde cura, mas sei que por vezes o que dói pode não passar. Guardemos o que de bom nos deixaram.

 

 

 

 

Este tema é muito pessoal para mim e mais ainda para aqueles que o viveram de perto. 2018 é o ano do número 7, um por cada que passou depois do último dia das nossas vidas enquanto as conhecíamos: jovens a exercer o direito a sê-lo.

 

Em Setembro de 2011 ou pouco depois disso escrevi o texto que partilho contigo. A relevância para sempre se manterá, porque a outra face da moeda da vida ainda não é o lado eterno.

 

No final de Agosto fiz uma festa de despedida, que deveria ser (e foi também) a minha para ir viver uns tempos para a Turquia, mas foi mais do que isso. Mal nós sabíamos que naquela noite quente de temperatura, abraços, palavras de amizade eterna estaríamos nós a dizer tudo o que precisava de ser dito uns aos outros? Há despedidas que não se medem, mas que só depois se entendem. 

 

 

A perda: é o pior dos sentimentos e a pior das ações porque envolve a ausência permanente de algo que se tinha (ou que se achava ter).

A perda: torna-se num vazio e ninguém gosta de o sentir na sua vida.

A perda: faz-nos pensar e relembra-nos da efemeridade e da mesquinhez que são as nossas vidas.

A perda física ou psicológica dói. Corrói por dentro. Deixa a descoberto as nossas vulnerabilidades e os nossos temores.

A solução para a perda não é alcançável, pois ninguém é substituível.

(Con)Viver com a perda é um desafio, mas não uma impossibilidade.

Perder alguém é algo para o qual não fomos preparados para enfrentar. Mas quando essa perda acontece, o melhor a fazer é não esquecer. Tornemos essa perda em saudade, porque a saudade valoriza o que se perde, enquanto a perda, essa não tem retorno.

 

(Em memória de dois grandes amigos)

 

Boas Aventuras,

Solo Adventurer Joana

 

Partilha este artigo

Please reload

Artigos Relacionados

Please reload

Artigos Recentes

Mami Pereira, entre muitas coisas arquelojista e uma mulherzinha d(O) Caraças

Partilhar inspiração vale a pena?

Não é isto que quero para a minha vida

1/1
Please reload