Cláudio, o podcaster político de língua afiada

Segue-nos

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • LinkedIn - Black Circle
  • Pinterest

SONHADORES PRATICANTES

Questões? Parcerias?

soloadventuresofficial@gmail.com

Cláudio, o podcaster político de língua afiada

Este Solo Adventurer é jovem de mais e adulto de mais, como podem ambos viver dentro de uma mesma pessoa? Conhece o Cláudio, alguém que se tem focado naquilo que o diferencia. Não tem receio de desejar mais e do trabalho que tem de enfrentar para cumprir o seu destino. Hoje é conhecido como historiador, filho, político, podcaster e amigo/ inimigo. Conversas e argumentos são desses que são feitos os seus dias. Será que estás pronto/a para o conhecer?

 

 

-Sinopse de uma amizade-
 

Conheci o Cláudio nas lides políticas em Lisboa, ambos na mesma Juventude Partidária com ideias e atitudes de querer fazer acontecer fosse ali ou na vida para lá daquelas barreiras. Quase sempre aparenta uma pose muito formal para quem o vê de fora, mas eu consegui olhar um pouco para lá disso e fui descobrindo uma pessoa com alma e bagagens de conhecimentos que não denunciam a idade jovem que tem. É digno de maturidade e humor negro que convencem. Tem uma cabeça culta, inteligente e faz jogos de argumentação fundamentada e memória que invejo - não fosse ele um homem da História. Ainda me recordo de há uns anos atrás num intervalo de congresso ele partilhar comigo um projeto que estava a iniciar, falava de um podcast... e não é que hoje ele continua e o tem feito crescer a passos firmes?

 

-Sinopse sobre o Cláudio Fonseca-
 

Nasceu e cresceu na margem sul do rio Tejo. Abriu os olhos a este mundo batia aquele calorzinho de julho ainda nos anos 90, mais precisamente 1995. Agora façam as contas aos anos.


Do Hospital Garcia da Orta em Almada seguiu para Corroios, pouso que mantém até aos dias de hoje.

Quando o questionei sobre marcos um dos primeiros que destacou foi aos 8 anos e não teve receio de o denunciar. Em 2003 viu os seus pais separarem-se por razões que mexem com a traição paterna e a violência doméstica.

 

Quando vos falei da maturidade que ele revela quando o conhecem não é em vão. Todos os acontecimentos da sua vida encaminharam-no a crescer em sentimentos e intelecto para lá do que se exigiria a alguém de tenra idade. Tirando-lhe palavras da boca "as nossas experiências fazem-nos, somos frutos de todas as situações e pessoas com quem nos cruzamos". Nem mais!

 

Do seu crescimento em Corroios passou o Tejo e veio para Lisboa frequentar a universidade 10 anos depois desse momento. Aos 18 entra para a Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa para a licenciatura em História. Nesse mesmo ano, ainda que num novo ambiente conquistou o seu lugar. Fez frente aos lobbys políticos e às praxes que fracturavam e dominavam há 40 anos a realidade académica e assim conseguiu vencer por dois anos seguidos as eleições fundando e gerindo o Núcleo de Estudantes Socialistas dessa faculdade. Teve a oportunidade nesse contexto de organizar projetos e atividades de larga escala. Hoje em dia presidente a Sociedade de Debate da Universidade de Lisboa.

 

Como tem de defeito a teimosia e de qualidades a persistência, resiliência e a criatividade, tem estado sempre para a vida de mangas arregaçadas. Em 2017, ainda na faculdade, criou um podcast  "Conversa" para se focar em temas políticos e outros relevantes trazendo com ele convidados para trás do microfone em conversas entusiasmantes. Foi com essa garra e trabalho que um ano e sete meses depois viu o seu projeto ser reconhecido com o prémio do International Podcast Day

 

À sua "Conversa" têm-se juntado figuras conhecidas de várias esferas portuguesas: Augusto Santos Silva, Ministro dos Negócios Estrangeiros; Nilton e Pedro Fernandes da RFM; Joana Amaral Dias psicóloga e política; Pedro Borges Lemos político e advogado; João Zilhão e Armindo Mirante, os diretores do Millennium Estoril Open e até um especial do Mundial Rússia trouxe-nos com convidados de peso - Carlos Daniel da RTP, Nuno Luz da SIC, Olivier Bonamici da Eurosport, entre muitos outros que tens de ir ouvir ao seu canal de Podcast.

 

Mas este homem vai para lá das conversas e nos seus tempos livres cultiva o gosto pelo jazz, o ténis e o rugby. Visitar museus está no top das suas preferências e a paixão pela fotografia é algo que o alimenta e tem tido a honra de ter um dos nossos fotógrafos de peso a focarem a câmera em si, não conhecem o Fernando Branquinho bi-campeão do mundo em fotografia?

 

No jogo das curiosidades quando o questionei se não vivesse onde tem a sua casa, onde gostaria de ter outro tecto e ele prontamente apontou para terras francesas e nelas focou Paris, cidade onde vai com frequência e como domina a língua a adaptação certamente não seria um problema.

 

Mais fica por conhecer sobre o Cláudio, mas a ideia é essa. Assim obriga-nos a ficar atentos às suas conversas de podcaster. Mas por agora, não fiques só por aqui e espreita as 5 lições que ele guardou para nós.

 

 

 

 

-Lições de Vida na primeira pessoa-

do Cláudio para nós

 

1. No fim do dia só restas tu.

Parece frio de dizer, mas a verdade é que no fim dia só te restas a ti. Neste mundo em que procuramos ser gostados e seguidos, estamos sempre mais vezes sozinhos do que acompanhados. Quando um problema te assola a meio da noite, todos dormem, tens que te desembaraçar sozinho. Faz as coisas a pensar naquilo que tu gostas e te fazem feliz, e não porque o que fizeres vai dar palmas momentâneas e não dependas dos outros, depende só de ti. Sarkozy escreveu que na vitória é sempre a família, mas a derrota é órfã.

 

2. Nada é eterno e tudo é curto

Nada dura para sempre, por mais juras de eternidade que se façam, quantas não caíram no vazio? Carpe diem é uma frase feita, mas que faz sentido. A vida é tão curta para que os nossos rostos se enruguem de tristeza, por isso é importante viver todos os momentos ao máximo, desfrutando sempre, uma vez mais procura a tua felicidade. Celebra o que achares que deves celebrar e não o que outros acham. A vida é finita e curta, aproveita.

 

3. Tempo e resiliência

Quando mais tempo andamos, mais resistência e sabedoria acumulamos. Nada na vida é dado de forma gratuita. Quantas vezes enviaste currículos e nem uma resposta tiveste? Quantas vezes tentaste fechar uma parceria? Ou a oportunidade da vida ainda não chegou? Não desistas! A resiliência é algo que só alguns conseguem adquirir, custa ouvir, mas tens que esperar muitas vezes para alcançar aquilo que queres. Esperar, pensar, procurar outras formas, isso é crescer e amadurecer, existem tarefas que nos surgem no tempo e momento certo, até lá chegar é treinar. Ninguém funda uma empresa do dia para a noite, só conhecemos a ponta daquilo que é o iceberg de uma pessoa, não sabes quantos “não” ela ouviu, quantas vezes caiu, mas uma coisa já sabes: ela foi resiliente.

 

4. O Máximo no Mínimo

O teu trabalho é isso mesmo, é teu! É a tua obra, o teu inconsciente, aquilo que verdadeiramente és. Que imagem darás então? Organizado e perto da perfeição? Ou o caos? O Homem vive com o medo de ser esquecido, assim os pedreiros marcavam as suas insígnias nas pedras, todos queremos ser lembrados, e se o mundo acabasse agora, como seria a tua última obra? Dá o teu melhor sempre, faz disso a tua assinatura, a tua marca, aquilo que te diferencia de todos os outros, faz com que num mundo mergulhado nos ecrãs alguém olhe para ti.

 

 

5. Nunca pares e sem conforto

“Quanto mais se usa algo, mais ela se desenvolve” foi a primeira coisa que ouvi na faculdade. Nunca pares de saber coisas e de fazer coisas, pois feliz ou infelizmente a nossa ignorância será sempre maior que a nossa sapiência. No dia que acordares e achares que já nada te surpreende ou nada tens a aprender faz tudo para mudar isso. O parar na vida está demonstrado ser o princípio do teu fim. Faz workshops, descobre novos hobbies, sai da tua área de conforto, vai viajar, qualquer coisa, mas nunca pares. Sair da área de conforto é algo que deves fazer sempre, vais ver que ainda te irás surpreender contigo próprio, e vai-se tornar viciante, como que bebesses, mas ainda continuas com sede. Acredita, vai valer a pena. Espero que apliques estas lições que aprendi e que sejas feliz e consigas fazer os outros felizes. Sorri à vida, ela irá retribuir.

 

 

Queres conhecer mais sobre o Cláudio? Eu também!

Subscreve o seu Podcast Conversa no Youtube.

 

Boas Aventuras,

Solo Adventurers Joana & Cláudio

 

 

 

 

 

Partilha este artigo

Please reload

Artigos Relacionados

Please reload

Artigos Recentes

Mami Pereira, entre muitas coisas arquelojista e uma mulherzinha d(O) Caraças

Partilhar inspiração vale a pena?

Não é isto que quero para a minha vida

1/1
Please reload