top of page

“The Hill We Climb”, de Amanda Gorman

Um poema que marca um momento. Um poema que pode ser visto. Um poema que faz parte da história do presente e um poema que traz esperança num futuro mais justo e corajoso. Um poema que não podia deixar de ser um livro do princípio ao fim.




Amanda Gorman é a poeta mais jovem de sempre na cerimónia inaugural de um novo mandato presidencial nos Estados Unidos da América. Lido a 20 de Janeiro de 2021 na tomada de posse do Presidente Joseph R. Biden, este pequeno grande poema tornou-se numa ode a um futuro mais corajoso e teve eco no país e no mundo inteiro.

Do poema fez-se um livro, que dispensava bem a introdução de Oprah Winfrey na minha opinião, porque força e voz já a autora tem. Mas torna maior o seu alcance e faz com que chegue a todos os cantos do mundo. Eu li a versão em inglês, mas esta semana numa livraria em Lisboa encontrei a versão portuguesa, que deixo aqui para todos e todas.


É um livro que nos traz reflexão sobre os anos turbulentos e sinistros que passaram (“we’ve learned that quiet isn’t always peace”), que reforça a importância de abraçar as diferenças (“to put our future first, we must first put our differences aside”), que traz à luz do dia três palavras a ter em mente para um futuro melhor - reconstruir, reconciliar, recuperar. Não, não é um discurso novo, como li em muitos comentários por esta Internet fora, mas se há discurso que não devemos perder de vista é o da empatia e da inspiração, por isso não vem mal nenhum ao mundo lê-lo ou ouvi-lo mais uma vez. E outra.


Enche-nos de coragem, consola-nos até certo ponto e inspira-nos para tomarmos ação para o que aí vem. Para tomarmos as rédeas daquilo que é nosso, do nosso país seja ele qual for e, principalmente, do nosso futuro. Para subirmos a colina do que fomos até chegarmos ao para onde vamos.









Tags:

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

댓글


bottom of page