top of page

Voluntariado e Cidadania Ativa


No âmbito do 9º Encontro de Associações de Base Local, onde a Solo Adventures foi convidada a dinamizar - através da nossa Joana Feliciano Fundadora e Presidente de Direção Voluntária, o grupo de trabalho sobre “Voluntariado e Cidadania ativa” obtivemos muitas reflexões pertinentes para quem se envolve no Terceiro Setor e trabalha com Voluntariado.





Conclusões do Grupo de Trabalho sobre "Voluntariado e Cidadania Ativa"



O que significa cidadania ativa para cada um relacionando com voluntariado?


A cidadania ativa é uma expressão do comprometimento dos cidadãos com a sociedade, envolvendo-se ativamente em questões comunitárias, políticas e sociais. Relacionando-a ao voluntariado, percebemos que o ato voluntário é uma forma concreta de exercer a cidadania ativa, onde os indivíduos contribuem para o bem-estar da comunidade de forma livre e solidária, demonstrando empatia ao se colocar no lugar do outro, envolvendo-se ativamente em ações de intervenção, participando ativamente em processos políticos e de tomada de decisão, estabelecendo ligações e redes de solidariedade, contribuindo para a educação, tanto formal quanto não formal, e capacitando-se a ter voz para reivindicar mudanças significativas em prol de um mundo mais justo e inclusivo.



Tópico 1: Importância do Voluntariado na Cidadania Ativa:


O voluntariado desempenha um papel crucial na promoção da cidadania ativa em uma comunidade, visto que é um facilitador dessa dimensão multifacetada. Além de capacitar os cidadãos para se tornarem agentes de mudança, o voluntariado também dá espaço para fomentar o pensamento crítico, promovendo a meritocracia baseada no envolvimento e esforço do voluntário. É um espaço seguro no qual os indivíduos podem desenvolver habilidades de liderança e construir laços comunitários mais fortes, tornando-se, assim, cidadãos mais ativos e conscientes.


Neste contexto, o voluntariado representa um espaço de aprendizagem fundamental para ser cidadão, uma vez que oferece oportunidades para participar ativamente na resolução de problemas locais e, ao fazê-lo, os voluntários adquirem experiência prática sobre como as decisões são tomadas e como podem influenciá-las. É uma plataforma que encoraja a equidade, proporcionando a todos a oportunidade de se envolverem e fazer a diferença em suas comunidades, independentemente de sua origem social, econômica ou étnica. Portanto, é essencial ter atenção à equidade no voluntariado, assegurando que todos tenham igualdade de acesso e oportunidades para participar ativamente da cidadania ativa.



Os principais benefícios do voluntariado são multidimensionais se partirmos da ideia de quando este é executado em consciência - "fazer o bem, bem feito". Para os voluntários, essa atividade proporciona um amplo espectro de vantagens que vão além das fronteiras individuais. Eles experimentam um sentimento de concretização e adquirem novas competências, contribuindo significativamente para o seu auto-desenvolvimento e empoderamento. O voluntariado promove o crescimento pessoal, aumentando a auto-estima e a auto-confiança dos voluntários, ao mesmo tempo em que os faz sentir um profundo sentimento de pertença à comunidade.


Por outro lado, a comunidade que beneficia da intervenção do voluntariado também colhe inúmeros benefícios. Além de adquirir novas ferramentas para enfrentar desafios, a comunidade experimenta um aumento no empoderamento, à medida que os voluntários contribuem para soluções e melhorias concretas. Essa colaboração resulta em novas oportunidades, melhorias nas áreas de educação, saúde, meio ambiente e bem-estar geral, tornando a comunidade mais resiliente e fortalecendo o seu capital social. O voluntariado é uma via de mão dupla, enriquecendo tanto os voluntários quanto as comunidades em que atuam.



Tópico 2: Desenvolvendo Iniciativas de Voluntariado:


A implementação bem-sucedida de programas de voluntariado em comunidades locais pode ser desafiadora. No arranque, é comum que exista algum receio e incerteza, tornando necessário garantir a mobilização de voluntários, a estruturação adequada e a gestão das expectativas, tanto por parte dos voluntários quanto das organizações envolvidas. Nesse estágio inicial, muitas vezes, a falta de recursos, como financiamento e voluntários disponíveis, pode se tornar um obstáculo.


Além disso, a manutenção de um programa de base de voluntariado exige esforço contínuo. É fundamental manter a motivação dos voluntários e gerir as expectativas de ambas as partes de forma eficaz. Isso requer adaptação constante, compromisso e uma abordagem eficiente na gestão das pessoas envolvidas. A coordenação e a comunicação são essenciais para garantir que todos estejam alinhados com os objetivos do programa de voluntariado.


Uma estratégia eficaz para superar esses obstáculos é estabelecer parcerias sólidas com organizações locais e governamentais, que podem oferecer suporte logístico e recursos adicionais. Fornece formação e apoio adequados aos voluntários é outra peça fundamental, pois isso os capacita a desempenhar suas funções de maneira mais eficaz e sustentável. Além disso, criar estratégias de comunicação eficazes ajuda a promover o programa de voluntariado, atraindo mais voluntários e consciencializando a comunidade para o valor e os benefícios do voluntariado.



Tópico 3: Envolvimento da Comunidade:


A inclusão de diferentes grupos demográficos em projetos de voluntariado é fundamental para garantir que a cidadania ativa seja verdadeiramente representativa. No entanto, é importante reconhecer que nem todas as causas e missões são adequadas para todos os perfis de voluntários. Portanto, é essencial manter um equilíbrio entre equidade e adaptabilidade ao considerar a diversidade de participantes.


Promover a inclusão significa não apenas remover barreiras óbvias, como as linguísticas, econômicas ou culturais, mas também garantir que haja flexibilidade e opções adequadas para atender às diferentes necessidades e interesses dos voluntários. Isso pode envolver a criação de projetos variados que abordem uma variedade de questões e que sejam acessíveis a diferentes grupos demográficos.


Além disso, em contextos nos quais há uma grande heterogeneidade de opiniões e perspectivas, é fundamental manter o foco no bem comum e na missão da Organização ou do projeto. Isso ajuda a unir voluntários de diferentes origens em torno de um objetivo compartilhado, mesmo quando suas visões individuais podem variar. A colaboração e o diálogo construtivo são chaves para superar desafios decorrentes da diversidade e garantir que o voluntariado continue a ser uma força unificadora em prol da comunidade.



Estratégias para incentivar a participação ampla e ativa dos cidadãos em projetos de voluntariado e questões locais devem ser pautadas pela transparência. Isso envolve uma estrutura clara de comunicação que forneça informações detalhadas sobre as oportunidades de voluntariado, os objetivos da missão e os resultados alcançados. Essa abordagem promove uma ligação mais forte entre os voluntários e a Organização, mostrando o valor que cada participante traz para a causa.


Além disso, a valorização e o reconhecimento dos esforços dos voluntários desempenham um papel fundamental na manutenção do seu comprometimento. A boa comunicação, incluindo o uso eficaz das redes sociais, é uma ferramenta poderosa para expressar gratidão e destacar as conquistas individuais e coletivas.


Respeitar os limites dos voluntários e garantir que sua participação tenha um sentido e propósito claro são igualmente importantes. A flexibilidade nos programas de voluntariado, que acomoda as agendas ocupadas dos participantes, pode ser essencial para atrair uma participação mais diversificada.


Além disso, estabelecer parcerias estratégicas com escolas, empresas e outras Organizações pode ampliar o alcance e incentivar uma participação mais ampla, trazendo novas perspetivas e oportunidades para o voluntariado.







Comments


bottom of page