top of page

Da pressão ao progresso - como lidar com o perfeccionismo

Atingir a perfeição é utópico.


Procurar a excelência em tudo o que fazes é bom e normal, mas isso deixa de ser normal quando a pressão deixa de te levar à ação e ao progresso.


É certo que em muitos casos ser perfecionista pode ser um aspeto positivo na tua personalidade, mas quando isso dá lugar à ansiedade e ao stress, é importante que percebas que a excelência está na tua essência. E a perfeição, por vezes, é a ingénua simplicidade.



O que é o perfeccionismo?


É importante compreender o que é o perfeccionismo. De uma forma simples, o perfeccionismo é um tipo de comportamento que deseja realizar as tarefas ou atividades com o máximo da perfeição, onde erros, falhas e resultados pouco satisfatórios não fazem parte.

Por norma, uma pessoa muito perfeccionista tem altos padrões de cobrança sobre si mesma e sobre os outros. Ou seja, ela tende a focar-se apenas nos erros ao invés nas aprendizagens.


Existem dois tipos de perfeccionismo


O perfeccionismo normal ou saudável, é aquele em que uma pessoa tem a motivação de fazer uma tarefa ou atividade bem-feita.


O perfeccionismo nocivo, é aquele em que uma pessoa apresenta um padrão elevado de perfeição, onde muitas vezes pode fazer a mesma tarefa várias vezes, porque acredita não estar “perfeito”. Claro está que isto gera frustração.




Algumas características de pessoas perfecionistas


Uma pessoa demasiado perfecionista tem medo de falhar. Mas falhar é algo natural na nossa vida, pois é assim que aprendemos. Afinal, somos humanos.

São pessoas que atentam bem aos detalhes, são bem organizadas e focadas e procuram, sempre, realizar as suas ações com pouca margem para erro. Estas características são normais e, de certa forma, saudáveis.

Porém:

  • quando a autocrítica é exagerada

  • quando há uma enorme dificuldade em aceitar o erro e aprender com isso

  • quando existe dificuldade em trabalhar em grupo

  • quando persiste uma sensação de que falta alguma coisa

Está na altura de reavaliar quem és, porque essa bola de neve nociva pode dar origem a insónias, isolamento social, frustração e preocupação constante, sintomas obsessivo-compulsivos, ansiedade, depressão ou até mesmo distúrbios alimentares.



Como podes reduzir comportamentos (demasiado) perfecionistas?


O perfeccionismo nocivo pode tornar-se num ciclo vicioso, onde sair dele pode ser bastante difícil.

Contudo, como o próprio nome diz, os ciclos devem ser quebrados e os negativos e viciosos devem ser transformados em ciclos positivos.

Eis algumas sugestões que podes (e deves) tomar nota:

  • Aceita que a perfeição não existe, este é o primeiro passo a seguir. A perfeição não existe.

  • Renova as tuas crenças e desafia-as e desenvolve novas regras e crenças mais saudáveis.

  • Avalia o teu desempenho de forma objetiva, optando pelas aprendizagens e conquistas ao invés de erros e falhas.

  • Elogia-te e cria um sistema de recompensas quando quebrares as tuas crenças e padrões rígidos.

  • Procura o lado mais relaxante e prazeroso em todas as atividades que fazes.

No fim, pratica isto todos os dias e chegarás a onde queres chegar.


Lembra-te que é importante seres gentil contigo e procurares ajuda quando sentes que é necessário. Quebra a pressão e abraça o progresso, em vez de perseguires a perfeição. Permite-te viver uma vida mais equilibrada, saudável e gratificante.





Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page